quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Entrevista de Hábitos Literários: Francélia Pereira




Se apresente e nos fale quais gêneros literários gosta de ler.
Sou Francélia Pereira, autora da série Habitantes do Cosmos. Gosto muito dos Clássicos, da Literatura Antiga, nem tanto pelo estilo, mas pela possibilidade de viajar no tempo e observar culturas que, hoje, parecem envoltas em mistério e magia.
 Além da Literatura Antiga, me identifico bastante com obras da Literatura Inglesa, independente do gênero; leio desde Mary Shelley a Alan Moore. No geral, gosto de obras mais profundas, que tocam a alma, e os ingleses, principalmente nos séculos XIX e XX, souberam resgatar isso das obras antigas, tanto do Ocidente quanto do Oriente. Aqui no Brasil também há obras assim, tanto nos clássicos nacionais quanto na nova Literatura. Autores como Erico Veríssimo, Clarice Lispector, Kaká Werá, Paulo Leminski, Menotti Del Picchia, entre tantos outros, enriquecem nossa Literatura.
Dos novos autores, já começam a aparecer nomes promissores que, embora estejam engatinhando ainda, tenho certeza que amadurecerão bem rápido, e vão nos encher de orgulho, assim como os grandes autores do passado.

 Quando resolveu escrever um livro quais foram as motivações?
A principio, minha motivação foi minha monografia, pro curso de Letras, a pesquisa ficou grande demais e eu precisava registrar algumas coisas, fora da linguagem acadêmica. Mas depois a história parece que tomou vida própria, e não consegui mais parar de escrever .

Acredita em inspiração? Quais foram as suas inspirações ao começar a escrever?
Sim, acredito. Pode parecer besteira, mas vejo o autor como uma espécie de “antena”, que capta mensagens, talvez do senso comum, e as transcreve. Ao menos comigo foi algo assim...

Para você, o que significa ser escritor?
Não sei explicar isso direito, mas, fica a sensação de “dever cumprido”; é mais ou menos como deixar um filho no mundo.

Qual livro que você leu esse ano e mais gostou e qual é seu livro de cabeceira no momento? E quais são seus livros preferidos?
O livro que li esse ano e mais gostei foi O homem de azul e púrpura, de V.M. Gonçalves, da série A Canção de Quatrocantos; foi um livro que me deixou muito feliz, pela temática abordada, ou seja, é uma obra de Fantasia que se passa na América Ancestral. 
Meu “livro” de cabeceira, no momento, é a HQ Promethea, de Alan Moore ^^.
Tenho vários livros preferidos, vou citar alguns: Juca Mulato, de Menotti Del Picchia; A terra dos mil povos, de Kaká Werá; A Ilha, de Aldous Huxley; Metamorfoses, de Ovídio; Odisseia, de Homero; Timeu e Crítias, de Platão; A hora da estrela, de Clarice Lispector...

Qual o melhor horário para ler na sua opinião? E qual seu lugar preferido para ler?
Qualquer hora, desde que eu não esteja cansada. Meu lugar preferido pra ler é, com certeza, a minha cama.

Tem algum hábito exclusivo de leitura?
Não. 

Que sugestões você daria para os leitores do blog leitura Mania?
Além de A Canção de Quatrocantos, O Ciclo da Morte, de Thais Lopes, que é uma história de seres sobrenaturais ambientada em Belo Horizonte; também A Liga dos Artesãos, da série Alvores, de Lauro Kociuba, uma história de Fantasia que se passa em Curitiba.

Possui algum livro ou conto publicado? Fale nos sobre eles.
Possuo alguns contos publicados e dois livros da minha série Habitantes do Cosmos, que é uma série voltada para a valorização da nossa cultura; é uma série de Ficção Científica – se é que posso defini-la assim... rs – que coloca o Brasil no centro da história.
 É difícil falar da série em poucas palavras, mas posso adiantar que nela o leitor encontrará viagens no tempo, tecnologia do futuro, desastres naturais na Terra, migrações para o Espaço, colonização da Lua e de Marte... entre outras coisas, e, é claro, muitas referências à nossa mitologia ancestral.

Possui alguma página ou blog? Se sim nos fale o endereço dele e nos fale sobre ele.
Tenho o blog Cultura BR, que é um blog destinado a divulgar obras de artistas nacionais, que valorizam nossa cultura, e o blog Pindorama, que divulga trabalhos que valorizam as culturas indígenas tradicionais do Brasil.

Uma pergunta que não fiz e que gostaria de responder?
Você acha importante valorizarmos a Literatura Nacional? Por quê?
Sim, acho muito importante valorizarmos os trabalhos dos autores nacionais, porque é nesses trabalhos que ficarão registrados para o nosso povo, e para o mundo, a nossa identidade, a identidade do nosso tempo; e por que isso é importante? Acredito que as palavras “evolução consciente” definem a importância disso...