sexta-feira, 25 de março de 2016

Resenha #44 Anna e o Homem das Andorinhas, de Gavriel Savit




Autor: Gavriel Savit
Tradução: Elisa Nazarian
Onde comprar: Amazon
Assuntos: ficção – romance/novela, segunda guerra mundial
Selo: Fábrica231 

Editora: Rocco 

Sinopse: Cracóvia, 1939. Anna tem apenas sete anos quando seu pai, professor de linguística, é levado por soldados alemães. Ela então encontra o homem das andorinhas, uma figura misteriosa, que guarda muitos trunfos na manga. Sem nada a perder, a garota decide segui-lo. Assim como o pai de Anna, ele tem um dom para línguas: polonês, russo, alemão, iídiche, e até a língua dos pássaros; e também como o pai da menina, corre risco de ser levado. Na trajetória que fazem juntos, eles escapam de bombas, soldados e até fazem um amigo. Mas num mundo em guerra, tudo se prova muito perigoso. Até o homem das andorinhas. Destinado a se tornar um clássico, o livro de estreia de Gavriel Savit revela a lição mais dura da vida, enquanto celebra todas as suas milagrosas possibilidades, e vai conquistar uma ampla gama de leitores, de jovens a adultos, interessados em Segundo Guerra Mundial ou que se apaixonaram por romances como A menina que roubava livros, O menino do pijama listrado e Toda luz que não podemos ver. Grande aposta da editora Knof no segmento jovem adulto de 2016 nos Estados Unidos, e destaque absoluto do catálogo do Fábrica231, Anna e o homem das andorinhas é um misto de ficção histórica com realismo mágico, uma leitura transformadora e inesquecível, para leitores de qualquer idade. O autor Formado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, Gavriel Savit é ator e escritor. Atualmente, ele mora em Nova York. Anna e o homem das andorinhas é seu primeiro livro.


Um livro fantástico e comovente 

Anna e o Homem das Andorinhas, conta a história de Anna uma menina de 7 anos, que fica sozinha em meio a Segunda Guerra Mundial, após seu pai ser levado para campos de concentrações, o pai de Anna era professor e falava várias línguas. Ela fica sozinha mas por sorte, encontra uma pessoa para ajuda-la, o Homem das Andorinhas, ela passa a chama-lo dessa maneira porque ele fala muitas línguas entre elas a dos pássaros. 
Esse livro é muito interessante por ser ambientada na Segunda Guerra Mundial. É uma nova visão de um assunto tão tratados em vários livros.Você pode até ler o livro sem conhecer profundamente a Segunda Guerra Mundial, mas se você conhecer esse assunto, o livro se torna muito mais atraente.

A narrativa do livro flui de forma agradável e tranquila, temos diálogos coerentes, o que torna a história mais fascinante. Os personagens são bem desenvolvidos. Anna a protagonista, mostra bem o lado de uma garotinhas de 7 anos, e consegue ser bem forte para superar tudo, no decorrer do livro, acompanhamos o crescimento de Anna, cada vez mais ela vai aprendendo o lado difícil da vida, mas o Homem das Andorinhas consegue  ajuda-la de forma excepcional. Algo que achei interessante foi ela falar várias línguas, como seu pai era especialista ela sempre o observou desde sempre. Ela consegue ser forte e luta para sobreviver, foi muito fascinante acompanha-la nessa jornada tão difícil.

Anna passa a seguir o Homem das Andorinhas, ela faz isso após perceber que a Cracóvia havia se tornado um lugar perigoso. O estranho tem vários segredos, incluindo o próprio nome, e com isso Anna decide chama-lo Homem das Andorinhas.

Na jornada, os dois cruzam com Reb Hirschl, e assim somos apresentados a um novo personagem. Ele é um judeu que abandonou o gueto de Lublin, apenas com sua clarinete e uma garrafa de vodca. Anna acaba se apegando a ele, assim ele passa a acompanha-los na jornada, mas o Homem das Andorinhas não gosta de Reb Hirschl. O final dele no livro nos faz pensar sobre o terror da segunda guerra e a consequências para as pessoas que vivenciaram isso.

Temos um mundo desesperado e desolado com a guerra, as pessoas estão desaparecendo. A Guerra tem grande papel nesse livro, mas apenas como motivador.  Temos uma viagem emocionante, onde sentimos tristeza e raiva. Ficamos confusos igual a nossa jovem protagonista, vemos a mudança através de seus olhos.

O acabamento do livro está ótimo, a editora Rocco fez um bom trabalho, a capa é linda e chama muita atenção. Um aspecto que tenho observado bastante nas minhas ultimas leituras é a tradução, a qualidade dela está ótima, a revisão também está bem feita e não vi erros.

Enfim, foi um livro muito bem escrito, de forma encantadora. Eu me senti muito envolvida. Gavriel Savit nos apresenta uma historia muito consistente, e não deixa pontas soltas, ele mistura fatos históricos e ficção para criar uma trama envolvente que comove e prende a nossa atenção. É o seu trabalho de estreia, e na minha opinião consegue ser uma preciosidade. Gavriel consegue ser hábil com as palavras, e consciente da importância de cada frase. É uma historia comovente, mas também, por vezes, otimista. Se você gosta de ficção histórica, e quer ler algo diferente, esse livro é para você.