terça-feira, 21 de junho de 2016

Resenha # 50 Um chapéu Cheio de Céu de Terry Pratchett

Sinopse: Tiffany Dolorida, alguns anos após suas aventuras no tenebroso Reino das Fadas, deverá colocar seus talentos em bruxaria novamente à prova ao embarcar em mais uma aventura: deixar sua casa e suas terras para trás e se tornar aprendiz de uma bruxa de verdade. Mas o que ela não sabe é que uma criatura incorpórea e sagaz está lhe perseguindo, um ser ancião e incompreensível do qual nem mesmo a Madame Cera do Tempo (a maior bruxa do mundo) poderá protegê-la. Dessa vez, serão úteis as habilidades de roubos, briga e bebedeira dos Nac Mac Feegle, os Pequenos Homens Livres, ou deverá Tiffany depender única e tão somente de si?

Um livro que merece ser lido por todos  (contém spoiler do primeiro livro)

Nesse livro Tiffany Dolorida se encontra em uma nova aventura. No primeiro livro, conhecemos Tiffany uma jovem muito esperta e muito nova para ser uma bruxa, mas que conseguiu derrotar a Rainha das Fadas, com a ajuda dos pequenos Pictsies. Ela demonstrou um talento muito importante para ser uma bruxa, manter os olhos abertos e usar o bom senso. 

Agora em Um chapéu cheio de céu, temos o seu desenvolvimento e crescimento como bruxa, descobrimos que ela faz parte de uma longa linhagem de bruacas e agora ela terá que por a prova, tudo que aprendeu ao derrotar a Rainha das Fadas. 

Tiffany tem que deixar o Giz, para ir acompanhar uma bruxa mais experiente que pode mostrar-lhe como desenvolver e controlar seus talentos, e essa bruxa tem suas peculiaridades, algo bem interessante é a casa onde ela ensinará novos truques para Tiffany. 

No decorrer dessa viagem descobrimos que Tiffany está sendo perseguida. Ela não faz ideia disso, mas os Pictsies já sabem disso e partem para ajuda-la, depois de uma boa conversa com a sua líder Kelda. Amei essa parte, pois essa Kelda tem uma personalidade e tanto. 

Esses pequenos homens livres, Pictsies, na minha opinião são os responsáveis pela boa dinâmica do livro. Eles estão sempre no meio de alguma confusão e são o suporte essencial para Tiffany. Outros personagens também são importantes, como algumas bruxas que aparecem, e uma que me identifiquei muito, pois ela fala muito 'humm' que é contagiante. Como um amigo me disse: "quando o livro imita a vida, ou seria ao contrario". Terry Pratchett  consegue criar personagens marcantes e com personalidades únicas. 

Nesse livro aprendemos, que temos que enfrentar nossos medos. E aprendemos lições importantes sobre ser uma bruxa. Tiffany aprende lições que serão uteis para toda a vida. Eu gostaria de entrar em detalhes sobre as lições aprendidas por Tiffany, mas estaria dando muito spoilers, por isso vou me segurar.

Um chapéu cheio de céu, é uma historia que tem pouca ligação com o restante dos livros do mundo de Discworld. Esse livro é maravilhoso, melhor que o primeiro, ele foi escrito com maestria. Uma história linda e mágica que me encantou do começo ao fim.

Gostei muito da edição da Editora Bertrand Brasil, principalmente da capa e do acabamento. O meu desejo é que a editora publique mais livros desse universo lindo que é o Discworld.