sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Resenha #28 Em busca de abrigo de Jojo Moyes






Sinopse: Romance de estreia da autora vencedora do prêmio RNA com A casa das marés. Sem contato com sua mãe desde que fugiu de casa quando ainda jovem na zona rural da Irlanda, Kate fez um juramento de que seria sempre amiga de sua filha, Sabine. Mas a vida tem uma maneira engraçada de se repetir, e Kate vê um abismo crescente entre elas. Com Sabine às vésperas de fazer uma jornada de volta à Irlanda para ver sua avó e resgatar seu passado, Kate se pergunta como elas chegaram a essa situação e o que ela pode fazer para mãe e filha se reconectarem. Para Joy, ver sua neta é a realização de um sonho. Após uma dolorosa separação de sua filha Kate, ela aguarda ansiosamente a chegada de Sabine. Porém, logo após a chegada da neta, a conexão que ela esperava não acontece, diminuindo seu entusiasmo. E quando o impetuoso temperamento de Sabine força Joy a encarar fantasmas do passado, ela percebe que talvez seja a hora de fechar antigas feridas. A inesquecível história de três gerações de mulheres irlandesas frente às verdades fundamentais de amor, dever e o inquebrável elo que une mães e filhas.


Emocionante !!!!

Este é um romance sobre três gerações de mulheres - conta a historia de Joy seus anos de  alegria e formação em Hong Kong de 1950,  onde também conheceu e se casou com o soldado Edward.  Foi algo muito rápido, em apenas alguns dias, se conheceram, ficaram noivos, mas ele teve que voltar  ao trabalho,  navegar a lugares distantes. E depois de um ano, ele volta  e se casam. O casamento deles parece ser idílico especialmente quando Joy compara sua vida com a de seus amigos,  eu estava um pouquinho cética em relação a todo o seu relacionamento. No entanto, eu não deveria ter duvidado da autora, como anos mais tarde, alguns eventos, são descobertos e nos mostram o lado mais sombrio de seu casamento, provando que nada pode ser sempre perfeito, como imaginei no começo.

No cenário moderno, Joy e Edward possui uma fazenda de cavalos bem sucedido na Irlanda. Eles têm uma filha Kate, que não é próxima deles e fugiu da Irlanda para Londres,  para escapar das tensões e problemas no domicílio. Kate também tem uma filha chamada Sabine e história parece estar se repetindo, como a sua relação como mãe / filha também é bastante preocupante. Kate não tem a menor sorte no amor, e Sabine está farta disso,  de diversas casos que sua mãe tem, e  de relações que trazem uma figura paterna em sua vida para que depois eles sejam removidos dela. Quando  Joy liga para Kate, para dizer a ela que seu pai Edward está muito doente, Kate tem a chance mandar sua filha Sabine a  ir para a fazenda e conhecer sua avó e avô corretamente, ao mesmo tempo, dando-lhe uma pausa de um último desastre romântico .

Sabine odeia Irlanda. Ela odeia a fazenda e cavalos, e encontra na avó uma pessoa muito fria. Joy também se sente dificuldade em se comunicar com Sabine. Ao longo do tempo no entanto, à medida que aprendemos sobre todas as três gerações de mulheres, vamos compreendê-las  um pouco melhor, as relações frágeis entre as três parecem estar lentamente a emendar-se. Antes que isso aconteça ainda há um monte de sentimentos a revela, segredos a serem descobertos e pontes a serem construídas.

Uma das coisas que eu amei sobre este livro,  é que você começa uma perspectiva de todos os três personagens principais e um interruptor em linhas de tempo do passado para o presente. Esta é uma ferramenta tão eficaz em conhecer os personagens para o leitor e fornece explicações para as coisas que aconteceram. Eu fiquei irritada algumas vezes com elas, mas  acho que um dos sinais de uma boa história é que os personagens devem trazer alguma emoção crua ao leitor. Até o final do livro, vemos  mudanças na Joy, Kate e Sabine para o melhor devido a suas experiências. Mas o que mais gostei do livro foi que a autora não deu um final "foram felizes para sempre " mas mostrou a realidade e os desafios para seguir a vida como todos temos .