terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Resenha #1 Paradise Kiss



Sinopse: Hayasaka Yukari, 17 anos, está para prestar o vestibular. Ela sempre se dedicou aos estudos, tentando ser a primeira da classe, e mesmo estudando bastante faz cursinho , por pressão de sua família.
Um belo dia, Yukari está indo para o cursinho e um punk  aborda-a, dizendo ser seu "dia de sorte". A garota, pensando ser um assalto (ou até mesmo coisa pior), foge, e acaba esbarrando em uma mulher com roupas estranhas, a qual Yukari chama de Shinigami ("deus da morte", em japonês), assim, a garota desmaia.
Quando acorda, ela descobre que está no ateliê de um grupo de formandos da Yazawa Gakuen, uma escola um tanto diferente, onde alunos e alunas do Ginásio  até a faculdade, podem se dedicar às matérias comuns e algum ramo da moda. O grupo é formado pelo estilista George (Joji em japonês ), com talento e ego descomunais, e seus auxiliares, Arashi, o punk, Miwako, uma linda menina, e Isabella, um travesti (que ela confunde primeiramente com um shinigami). Essas pessoas estavam procurando uma modelo  para desfilar para eles no concurso que encerra o último ano letivo deles na universidade de moda, mas Yukari ainda assustada com a aparência estranha daquelas pessoas recusa o convite e vai embora, porém, ela deixa sua Identidade Estudantil  cair.
George não desiste dela, Yukari fica curiosa a respeito dos planos do grupo, e acaba, depois de alguma resistência, embarcando na aventura e pagando um alto preço por isso, já que sua família fica toda contra essa ideia.


Opinião: Paradise Kiss é da mesma mangaká de Nana, Ai Yazawa. A diferença de Paradise e Nana é que o primeiro tem um final mais concreto que o outro, e é mais antigo. É o meu queridinho, pois foi o primeiro mangá Josei( mangá voltado para mulheres adultas) que li. No mangá os personagem são mais velhos e tem atitudes mais "madura", eles transam, fumam e bebem. Isso faz a historia se aproximar mais da realidade. Fora os conflitos pelo qual eles passam, que são reflexos de uma nova geração de jovens adultos, que são independentes, mas que ainda possuem vínculos com os pais que precisam ser rompidos.  Os personagens de Ai Yazawa, tem personalidades fortes, são 'exóticos' , eles não se preocupam com a opinião dos outros. Sobre ele tenho que dizer que me encantei por todos, principalmente pela protagonista e seu par romântico.