sábado, 22 de agosto de 2015

Resenha # 20 O Pacto/Amaldiçoado – Joe Hill



O Pacto/Amaldiçoado – Joe Hill
Sinopse: Ignatius Perrish Tinha uma família unida, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade, Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Descobre também algo assustador, ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, elas entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade.
Este livro foi lançado inicialmente pela Editora Sextante com o nome O Pacto. Foi passado então para o selo Arqueiro, com o mesmo nome, e relançado como Amaldiçoado, após o lançamento do filme inspirado no livro.
Joe Hill é um autor que, para mim, tem que provar que deve escrever. Por quê? Porque ele é filho de Stephen King. As expectativas em cima dele são muitas. E ele consegue cumprir todas e muitas mais nesse livro. Joe Hill nos apresenta um terror psicológico incrível. E nos mostra as muitas faces da sociedade.
Ignatius era um bom rapaz, de boa família e um bom futuro garantido, até o estupro seguido da morte de sua namorada, Merrin Williams. O principal suspeito: Ignatius, que nega veementemente. Porém, com a falta de provas, ele é inocentado. No aniversário de 1 ano da morte de Merrin, Ig acorda em seu apartamento após uma noite de bebedeira e não se lembra de muita coisa, e só consegue pensar na ressaca e dor de cabeça que está sentindo. A dor de cabeça tem um motivo. Ao se olhar no espelho ele se surpreende ao ver que estão crescendo chifres em suas têmporas. Ele acredita que seja apenas um delírio por conta da bebedeira, e fica sem saber o que fazer. Ig então vai atrás de sua namorada, Glenna, que não se espanta nem se surpreende com os chifres. Mas, o que mais assusta ele, é que Glenna começa a contar que o traiu na noite anterior como se não fosse nada de mais. E, além disso, começa a revelar várias coisas estranhas e inusitadas. Espantado, Ig procura ajuda em um hospital, onde mais uma vez pessoas começam a dizer seus segredos mais íntimos para ele. Ig então percebe que as pessoas têm um impulso incontrolável e irresistível de confessar seus piores pecados, seus piores erros, e opiniões e desejos mais sórdidos. Ninguém consegue mentir para Ig, pelo contrário: só falam a verdade. Nada nem ninguém escapam. O mais impressionante, porém, é o que a família do próprio Ig tem a dizer sobre ele. Principalmente seu irmão, que sempre soube a verdade sobre a morte de Merrin, ou acha que sabe. A partir daí, Ig desiste da vida em sociedade, e começa a usar seus poderes para entender o que aconteceu na noite em que Merrin foi encontrada estuprada e morta.
Com uma escrita fluida e sem rodeios, Joe Hill nos apresenta um suspense incrível. A habilidade na escrita de Hill nos faz amar um personagem em determinado ponto, e duas ou três páginas depois, odiar intensamente o mesmo personagem. Com vários flashbacks inseridos durante a narração, ficamos sabendo a história de Ig e das pessoas que o cercam. E Hill sabe como poucos escrever um final incrível, terrível e inusitado ao mesmo tempo.
Hill nos mostra como o Ser Humano pode ser bom, e ao mesmo tempo, terrível. E levanta um questionamento: Quem é pior? O diabo ou o homem?
Vale ressaltar que o livro não é para pessoas que se ofendem facilmente. Neste livro, você encontrará muitas passagens ofendendo a religião cristã, e exaltando o demônio e o satanismo.
Recomendo esse livro fortemente, assim como todos os outros livros do autor, para quem estiver a fim de ler algo muito bem escrito. Mesmo para quem já viu o filme. Vale a pena acompanhar o desenvolvimento de Ig e os outros personagens, assim como os eventos que culminaram no assassinato de Merrin. Não irá se arrepender.