sábado, 4 de abril de 2015

Resenha #14 O Xango de Baker Street


Um violino Stradivarius desaparecido, alguns orelhas cortadas e seus respectivos cadáveres trazem o famoso Sherlock Holmes ao Brasil, por recomendação de sua não menos famosa amiga Sarah Bernhardt. Porém, aquilo que parecia um pequeno e discreto caso imperial transforma-se numa saga cheia de perigos, tais como feijoadas, vatapás, mulatas, intelectuais de botequim, pais-de-santo e cannabis sativa. Sem falar, é claro, dos crimes do primeiro serial killer da historia, que executa seu plano nota a nota, com notável afinação e precisão de corte.
O britânico e intrépido detetive e seu fiel e desconfiadíssimo esculápio vivem então no Rio de Janeiro a aventura de Sherlock Holmes que Conan Doyle se escusou de contar - por motivos que ficarão bastante óbvios - mas que para felicidade do leitor brasileiro Jô Soares resgata neste romance implacável e impagável.
Neste livro surpreendente, Jô Soares alia uma rigorosa pesquisa histórica sobre a vida no Rio de Janeiro do Segundo Reinado à sua inventividade sem fronteiras. Romance cômico-policial, o Xangô de Baker Street constitui uma engraçada mistura de passado - a capital do país por ocasião da primeira visita da legendaria atriz francesa Sarah Bernhardt- , figuras conhecidas da historia politica e cultural do país, como Olavo Bilac, Chiquinha Gonzaga, Paula Nei, d. Pedro II, e personagens de ficção  - Sherlock Holmes e o indefectível dr.Watson - , importados para desvendar o desaparecimento inconveniente de um violino Stradivarius que deixara o imperador em palpos de aranha. Mas as ilustre criaturas de Conan Doyle acabam sendo requisitadas para solucionar uma serie de crimes hediondos e enigmáticos.
Esse foi o primeiro livro que li do Jô Soares, flui com facilidade, tem um  enredo que consegue prender a atenção pelo mistérios e seu tom cômico. Mas se você já leu livros de Conan Doyle com Sherlock Holmes, vai estranhar um pouco no começo, porque leitura acaba sendo diferente, mas recheada de personagens cativantes e hilários, e com sátiras sociais bem brasileiras. Enfim é um livro inteligente, recomendo para gosta de rir lendo um livro.